Sunday, 31 January 2010

Garcinia cambogia: a planta que acaba com a fome


Por: Rose Aielo Blanco*


Esta planta vem ganhando destaque como “a planta que tira a fome e a vontade de comer doces”. Saiba que planta é essa.

Esta planta está se tornando uma nova (e forte) aliada na guerra contra a balança. Trata-se da Garcinia cambogia - uma planta originária das florestas do Camboja, sul da África e Polinésia, cujo fruto apresenta um componente capaz de reduzir a fome e a vontade de comer doces.
É o ácido hidroxicítrico (AHC), o principal ácido encontrado na pele do fruto.

A Garcinia cambogia é uma planta muito comum em países como Singapura, Vietname e Tailândia. Pertencente à família das Gutiferáceas (Clusiáceas), ela é parente do mangostão (Garcinia mangostana L.) - outra fruta do mesmo género, que se encontre mais facilmente (foto em baixo)

A família Clusiáceas engloba 47 gêneros reunindo cerca de 1.000 espécies distribuídas em várias regiões tropicais e subtropicais no mundo. São da mesma família o bacuri (Platonia insignis Mart.), o abricot (Mammea americana L.) e o falso-mangostão (Garcinia cochinchinensis C.). Este último, como o próprio nome indica, é geralmente confundido com o mangostão e é comumente encontrado no Brasil, especialmente em pomares domésticos.

Cultivada em países do extremo oriente e na Índia, a Garcinia cambogia é uma pequena árvore sempre-verde, de copa circular e ramos horizontais. As folhas são simples, opostas, ovaladas, brilhantes e de coloração verde-escura. As flores são carnosas, podendo ser masculinas, femininas ou hermafroditas na mesma planta. Os frutos são amarelos e avermelhados quando maduros, têm o tamanho aproximado de uma laranja e possuem de 6 a 8 gomos, com sementes em arilo.
Na Índia, onde é utilizada há centenas de anos, ela conhecida como tamarindo de Malabar. A Garcinia cambogia é muito aplicada na Medicina Ayurvédica e, por não apresentar nenhuma toxicidade, é amplamente usada na culinária tradicional, especialmente na conservação de alimentos, além de entrar na composição do caril ou curry, uma mistura de especiarias (que varia conforme a região em que é produzida), indicada para condimentar pratos típicos. Na medicina popular, é usada para combater o escorbuto, como digestiva e estimulante da produção da bìlis.


Sucesso da Garcinia cambogia no tratamento da obesidade


A partir dos relatos de pessoas que consumiam os frutos da Garcinia cambogia e observaram perdas substanciais de peso, muitos estudos botânicos e farmacêuticos começaram a ser realizados, principalmente a partir da década de 60. O extrato da Garcínia cambogia começou a ser usado comercialmente como auxiliar na redução do peso e combate à obesidade por volta de 1991. Um dos primeiros estudos realizados nos Estados Unidos, reuniu 50 pessoas que foram distribuídas em dois grupos. Os dois grupos receberam uma dieta controlada, sendo que o primeiro passou a usar também o extrato da Garcinia cambogia, enquanto o segundo recebeu placebo. Ao final de dois meses, o grupo que utilizou o extrato de garcínia apresentou redução de 5,2 Kg, já o grupo que recebeu placebo apresentou redução de 1,6 kg.





O sucesso da Garcinia cambogia no tratamento da obesidade e em regimes de emagrecimento em vários países, especialmente nos Estados Unidos, segundo especialistas, ocorre não só por sua eficácia, mas também porque a planta atua por mecanismos exclusivamente metabólicos, sem interferir no Sistema Nervoso Central.
Estudos indicam que o componente presente na Garcinia cambogia, responsável pela redução da gorduras e pelas propriedades saciantes, é o ácido hidroxicitrato – AHC - (semelhante ao ácido encontrado no limão e na laranja), principal ácido encontrado na pele do fruto.



O AHC apresenta três mecanismos de acção:




  1. * Como agente bloqueador de gorduras – o excesso de carboidratos ingeridos são transformados e armazenados como gordura. Neste processo é necessária a participação de uma enzima chamada ATP-citrato liase. O AHC liga-se a esta enzima bloqueando-a e, por conseqüência, inibindo o armazenamento de gorduras;


  2. * Direcciona as calorias para outro destino. Ao bloquear a ATP-citrato liase, o AHC acaba por transferir as calorias para a formação do glicogênio (um tipo de açúcar armazenado nos músculos e no fígado). Com o fígado armazenando mais açúcar na forma de glicogênio, ocorre a inibição da vontade de comer doces;


  3. * Como redutor do apetite – o AHC controla o apetite ao promover uma maior síntese de glicogênio, ou seja, quando as reservas de glicogênio estão altas, os receptores do açúcar no fígado são estimulados e enviam um sinal de saciedade ao cérebro (tudo isso sem estimular o sistema nervoso central). De outro lado, o AHC também tem a capacidade de estimular a liberação da serotonina, um neurotransmissor diretamente envolvido no controle do apetite.

Todas essas propriedades têm feito da Garcinia cambogia um óptimo recurso natural para alterar a fisiologia do organismo no sentido de promover a perda de peso. É claro que a planta não é milagrosa. Não basta usar a garcínia e passar a comer qualquer alimento em qualquer quantidade e achar que não vai ganhar peso. É necessário aliar o seu uso a uma actividade física para estimular a queima de gordura, além de adoptar uma dieta saudável, com poucas gorduras e calorias.
Esta planta asiática ainda não é cultivada comercialmente no Brasil, por isso, a Garcinia cambogia só pode ser encontrada na forma de extrato seco para o preparo do chá e em cápsulas. Mesmo não apresentando nenhum princípio tóxico, por inexistirem estudos suficientes, o uso não é recomendado para crianças, mulheres grávidas ou que estejam amamentando.


Ficha da Planta


Garcinia cambogia



Sin.: G. gummi (Linn)


Nomes populares: tamarindo do malabar, gamboge tree ou hattan yellow (inglês), Vrkshaamla, charaka ou kokam (Ayurvedica)


Família: Gutiferáceas (Clusiáceas)


Origem: florestas do Camboja, sul da África e Polinésia


Solo para cultivo: Os solos mais indicados para o cultivo são os argilo-arenosos, profundos, ricos em matérias orgânicas e bem drenados


Clima: quente-úmido com chuvas bem distribuídas no ano


Partes mais utilizadas: casca seca e polpa do fruto


Constituintes: Ácido hidroxicítrico (cerca de 30%), lactonas hidroxicítricas, antocianósidos, compostos fenólicos (biflavonóides, xantonas, benzofenonas), sais minerais (na casca) e pectinas predominantemente na polpa


As qualidades da fruta:




  • * Diurética, facilita a eliminação de líquido pela urina;


  • * Rica em fibras, auxilia no funcionamento o intestino;


  • * Inibe a acção da enzima liase, responsável pela formação da gordura pelo fígado;


  • * Ajuda a absorver a gordura no sangue, melhorando os níveis de colesterol;


  • * Inibe o apetite, pela redução da hormona orexina,


  • * A planta actua no centro da fome, diminuindo o apetite, sem agir no sistema nervoso central


  • * A Garcinia cambogia acelera a queima de calorias (processo chamado de termogênese) e previne o acúmulo de gordura no sangue na forma de triglicéridos;


Em tempo: O mangostão (Garcinia mangostana L.), que pertence ao mesmo género e família da Garcinia cambogia, também apresenta propriedades medicinais. O seu extracto é usado como auxiliar anti-inflamatório no tratamento das articulações, tendinites, reumatismo e artrose. Pesquisas recentes indicam o uso do extracto da polpa no tratamento da asma e alergias respiratórias.


Referências:
Heymsfield SB, Allison DB, Vasseli Jr et al – Garcinia cambogia (hydroxycitric acid) as a potential antiobesity agent: a randomized controlles trial. JAMA 18:1956-1600,1998.Muzzarelli RAA – Human enzymatic activies related to the therapeutic administration of chitrin


* Rose Aielo Blanco é jornalista, escritora e editora do site:


http://www.jardimdeflores.com.br/

Dicas saudáveis




  1. Descubra o seu peso saudável. É actualmente definido com o índice de massa corporal (IMC), calculado com base na proporção peso/altura (IMC = Peso/Altura2).


  2. Faça contas às calorias. O excesso de peso resulta de um desequilíbrio calórico, ou seja, quando se consomem mais calorias do que as que se despendem. Se quer perder peso, terá que ingerir menos calorias do que aquelas que gasta.


  3. Habitue-se a ler os rótulos dos alimentos. Evite os mais calóricos, com colesterol mais elevado, mais açúcar, sódio e maior teor de gordura. A gordura, por exemplo, vem indicada em gramas. Um alimento é “meio-gordo” se contiver menos de 3 g de gordura por dose ou “magro” se esse valor for abaixo dos 1,5 g.


  4. Faça uma lista antes de ir às compras. Evite distrair-se nas prateleiras menos saudáveis dos supermercados


  5. Não vá ao supermercado com fome. Terá tendência para comprar mais do que aquilo que precisa: chocolates, bolachas, etc.


  6. Longe da vista… longe do prato. Em ocasiões festivas, afaste-se das mesas mais perigosas, com os alimentos menos saudáveis.


  7. Proteínas versus Hidratos de Carbono. Dê prioridade às primeiras (com preferência para as do soro do leite). Os estudos mostram que a termogénese (produção de calor resultante do aumento do metabolismo que queima gordura) após uma refeição hiperproteica aumenta 100% quando comparada com uma dieta rica em hidratos de carbono.


  8. Prefira os hidratos de carbono complexos, pois fornecem níveis de energia por mais tempo, e são lentamente transformados em glicose (maçãs, pêras, morangos, espargosbrócolos, espinafres, alho francês, couve)


  9. Mantenha o seu sistema digestivo saudável, o que contribui para a absorção de nutrientes, podendo ainda ajudar a reduzir o desejo por alimentos e bebidas doces. O tipo de dieta e o estilo de vida podem enfraquecê-lo.


  10. Opte pelos alimentos de baixo índice glicémico. Os alimentos que rapidamente se transformam em glicose (de alto índice glicémico) estimulam a produção de insulina e aumentam as suas reservas de gordura.


  11. Cozinhe a vapor. É uma forma de conservar os nutrientes e o teor de fibra (essencial para manter o sistema digestivo saudável) dos alimentos frescos.


  12. Fritos… nem vê-los. Os alimentos absorvem muita da gordura em que são fritos. Para além desta, quando frita a altas temperaturas, aumentar os níveis de radicais livres – substâncias nocivas à saúde.


  13. Grelhe ou asse os alimentos (em vez de guisados e refogados) a temperaturas brandas, de forma a não empobrecer as suas gorduras essenciais e fibras.


  14. Peixe, sempre que possível. Não só é uma boa fonte de proteínas, como é rico em gorduras essenciais Ómega 3, que, ao contrário de outras gorduras, são indicadas pelos estudos como benéficas na perda de peso.


  15. Prefira as carnes brancas, como as de aves, sem pele. A carne vermelha, embora seja uma fonte de proteínas, contém uma proporção de gorduras saturadas mais alta, não aconselhada à saúde. Restrinja o consumo de carne vermelha apenas a 2 a 3 vezes por semana.


  16. Álcool… é melhor esquecer. É certo que um copo de vinho (tinto) por dia apresenta benefícios a nível cardiovascular. Mas não se esqueça que o álcool é um produto fermentado, podendo também aumentar rapidamente os níveis de glucose.


  17. Mantenha-se hidratado. A água é muito importante num programa de perda de peso. Não tem valor calórico e melhora a eficiência do metabolismo. Beba 1,5 l de água por dia. Mas não conte com a ajuda de bebidas de lata ou sumos de pacote – contêm açúcar. O mesmo não se aplica ao chá e café, que têm um ligeiro efeito diurético, sendo por isso aconselhados.


  18. Coma muitas vezes ao dia. Ao comer pequenas e frequentes refeições ao longo do dia (6 a 7 p/dia), vai obrigar o organismo a despender mais energia, uma vez que o processo de digestão, absorção e metabolização dos alimentos requer energia. E, consequentemente, também perde gordura.


  19. Controle o apetite. Recorra à ajuda das medicinas alternativas. Quer a técnica da acupunctura (através da aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo), quer a fitoterapia (plantas como a Griffonia simplicifolia e Garcinia cambogia) podem ajudar a inibir o apetite por doces.


  20. Satisfaça correctamente o seu desejo por doces. Com frutas frescas da época ou iogurtes. Por exemplo, sabia que uma peça de fruta de 100g tem a mesma quantidade de hidratos de carbono que uma colher de sopa de açúcar? A grande diferença está nos açúcares da fruta: são de absorção mais lenta, têm vitaminas, fibras e antioxidantes, enquanto que o açúcar tem somente calorias vazias.


  21. Elimine o açúcar refinado da sua dieta. Opte por adoçantes naturais, como geleia de milho, malte de cevada e frutas frescas.


  22. Não cozinhe com maionese, manteigas e margarinas. Substitua por azeite, iogurtes light e leite magro.


  23. Em vez do sal, tempere os alimentos com ervas aromáticas frescas, especiarias ou molho de soja - uma colher de sopa de soja contém menos sódio (1g sódio = 2,5 g de sal).


  24. Evite cereais refinados, como arroz ou massas. Prefira os integrais, pois contêm hidratos de carbono de absorção lenta.


  25. Saladas e sopas no início da refeição. Os seus legumes verdes e hortaliças, ricos em fibras e água, vão, desta forma, promover uma sensação precoce de saciedade.


  26. Não tome o pequeno-almoço fora de casa: será maior a tendência para cair em exageros.


  27. Faça um treino cardiovascular 3 vezes por semana. Bicicleta, corrida ou natação. De preferência, em dias alternados para possibilitar uma recuperação adequada.


  28. Duração mínima de 20 minutos. De acordo com o American College of Sports Medicine, os programas de actividade física desenvolvidos 3 vezes por semana, com uma duração mínima de 20 minutos, são apontados como o mínimo para que ocorra uma redução de peso e massa gorda.


  29. Tome opções a pensar nos quilos que pretende despender: para perder apenas 1 kg de gordura são necessárias aproximadamente 4 ou 6 semas de corrida ou marcha na passadeira, 3 vezes por semana, durante 40 minutos.


  30. Bons exercícios aeróbios, fáceis de fazer ao longo do dia, e que não requerem equipamento específico nem horário no ginásio, são andar, correr, nadar, dançar, saltar à corda, etc.


  31. Uma hora de treino contínuo, sobretudo em marcha ou corrida, é mais eficaz do que dois períodos de 30 minutos ou três de 20 minutos, embora a quantidade seja a mesma. Em média perdem-se mais 60 kcal por sessão de treino.


  32. Não esqueça o treino de força. Se tiver tempo, experimente combinar o exercício aeróbio com o levantamento de pesos (2 a 3 vezes por semana), para optimizar o seu treino semanal. Um corpo musculado queima mais calorias ao longo do dia.Para conseguir que a duração da sessão de treino seja pequena (inferior a uma hora), o número de sessões semanais deve ser maior (todos os dias ou na maior parte dos dias da semana).Saiba que um programa de exercício para a perda de peso deve promover um dispêndio energético diário (ou na maioria dos dias da semana) de mais de 300 kcal.


  33. Actividade depois de comer. Pois perde mais peso. Faça uma caminhada após o jantar ou o almoço, por exemplo, de preferência diária.


  34. Regularidade física. O exercício físico regular não violento disciplina o apetite e gasta energia, ou seja, calorias de gordura armazenada no tecido adiposo. Para além de beneficiar a relação entre massa magra e gorda, tonificar a pele e modelar o corpo.


  35. Recorra a uma ajuda suplementar natural. Os melhores suplementos para queimar gordura também preservam a massa muscular magra. Procure nas lojas dietéticas produtos naturais à base de CLA, chá verde (rico em cafeína e polifenóis), Ácidos Gordos Essenciais (o nome engana: este tipo de gorduras essenciais combate a gordura corporal), e batidos de proteínas (com preferência para as do soro do leite).Esteja a par dos novos estudos. A novidade mais recente do mercado de controlo de peso chama-se CLA, um ácido gordo saudável, obtido da planta cártamo, usado em suplementos para queimar gordura.


  36. Acredite em si. O primeiro passo para alcançar algo que deseja é acreditar que vai conseguir e não criar obstáculos.


  37. Não crie falsas expectativas. Estabeleça objectivos realistas para o seu emagrecimento. Lembre-se que não existe um peso ideal. O peso ideal é aquele com que se sente bem.Peça ajuda aos familiares que vivem consigo na mudança dos hábitos alimentares. Para que não levem tentações para a mesa.


  38. Sem stress. Um pequeno deslize não significa que deitou tudo a perder. Além disso, o stress pode vir a reflectir-se nos “pneus” da sua barriga. O cortisol, hormona libertada em situações de stress, pode acumular gordura na região abdominal. As alterações hormonais não são bem-vindas à escultura corporal.


  39. Complete a dieta e exercício com tratamentos que podem ajudar a firmar a pele. Como a algoterapia (a espirulina é uma das algas que mais ajuda a combater a celulite), a endermologia (tipo de ginástica cutânea) e a mesoterapia (com recurso a ampolas homeopática especificas para a gordura localizada).


  40. Marque umas sessões de massagem. A pressão e as técnicas dos dedos sobre o corpo ajudam a desfazer os nódulos de gordura, activando, desta forma, a circulação a nível dos tecidos.

Fonte:
http://femulher.blogspot.com/2010/01/dicas-saudaveis-para-2010.html

Sunday, 24 January 2010

Xarope contra a gripe - Alface e Própolis


Ingredientes:
½ chávena (chá) de alface picada grosseiramente
1 chávena (chá) de água
5 gotas de própolis

Preparação:
Bata no liquidificador a alface a e a água até ficar totalmente homogéneo. Em seguida, coe, junte o própolis e mexa bem. Tome de 2 colheres (sopa) por dia, uma pela manhã e outra á noite.

Fonte: “Saúde, Equilíbrio & Harmonia” - Edição Extra, nº 1 , 2009

Xarope contra a gripe - Eucalipto e Mel


Ingredientes:
1 colher (sopa) de folhas frescas de eucalipto
1 chávena (chá) de água
¼ de chávena (chá) de Mel

Preparação:
Leve a ferver todos os ingredientes, excepto o mel. Espere amornar um pouco, coe e acrescente o mel. Tome de 2 a 3 colheres (sopa) por dia.

Contra-indicações:
O eucalipto não deve ser consumido por crianças gestantes e mulheres que estão em fase de amamentação.

Fonte: “Saúde, Equilíbrio & Harmonia” - Edição Extra, nº 1 , 2009

Xarope contra a gripe - Cebola, Alho e Própolis

Ingredientes:
½ cebola pequena
2 dentes de alho
½ copo (100ml) de água filtrada
5 gotas de própolis

Preparação:
Bata todos os ingredientes no liquidificador até obter uma mistura homogénea. Tome de 2 a 3 colheres (sopa) por dia.

Fonte:
“Saúde, Equilíbrio & Harmonia” - Edição Extra, nº 1 , 2009

Xarope contra a gripe - Alho, Limão e Mel


Ingredientes:
1 dente de alho
Sumo de 3 Limões
1 colher de sopa de Mel

Preparação:
Bata todos os ingredientes no liquidificador até obter uma mistura homogénea. Tome 1 colher (sopa) 3 vezes por dia.

Fonte: “Saúde, Equilíbrio & Harmonia” - Edição Extra, nº 1 , 2009

Xarope contra a gripe - Maçã, Cenoura, Limão e Mel


Ingredientes:
½ Maçã descascada e sem sementes
½ Cenoura média picada grosseiramente
Sumo de 2 Limões
½ copo (100ml)de água filtrada
3 colheres de sopa de Mel

Preparação:
Bata todos os ingredientes no liquidificador até obter uma mistura homogénea. Tome de 3 a 4 colheres (sopa) por dia.

Fonte: “Saúde, Equilíbrio & Harmonia” - Edição Extra, nº 1 , 2009

Chá contra a gripe - Limão e Alho


Ingredientes:
1 copo (250ml) de água
1 limão cortado em fatias
2 dentes de alho descascados
Mel para adoçar

Preparação:
Leve a ferver todos os ingredientes, excepto o mel. Espere amornar um pouco, coe e adoce com mel a gosto. Tome ½ copo (125ml) 2 vezes ao dia.

Contra-indicações:
Mulheres que estão em fase de amamentação e pessoas que sofrem de problemas de estômago devem consumir alho com uma certa moderação.

Fonte: “Saúde, Equilíbrio & Harmonia” - Edição Extra, nº 1 , 2009

Tuesday, 12 January 2010

Chá contra a gripe - Eucalipto


Ingredientes:
1 colher (sopa) de folhas frescas de eucalipto
2 chávenas (chá) de água
1 colher (sopa) de Mel para adoçar

Preparação:
Leve a ferver todos os ingredientes, excepto o mel. Espere amornar um pouco, coe, acrescente o mel. Beba 1 chávena de chá por dia, de preferência à noite.

Contra-indicações:
O eucalipto não deve ser consumido por crianças gestantes e mulheres que estão em fase de amamentação.

Fonte: “Saúde, Equilíbrio & Harmonia” - Edição Extra, nº 1 , 2009

Saturday, 9 January 2010