Sunday, 31 August 2008

Despertar


O Reiki é uma das técnicas que procura ajudar a restabelecer o acesso à sabedoria interior, intrínseca em cada humano.

Esse acesso é, desde tempos imemoriais, travado ou bloqueado pela busca caótica e incessante do conhecimento exterior, o qual tendo por origem o ego e o racional com os seus pavorosos instrumentos de submissão e tortura − o bem e o mal − submetem o humano ao seu controlo, transformando-o numa espécie de robô comandado por programas e mecanismos aos quais repetidamente obedece e de que raramente tem consciência.

O racional e o ego, não dão tréguas ao “seu? pensamento” e procuram manter o robô sempre activo.

A regra é: − a sabedoria é inversamente proporcional ao conhecimento recebido do exterior − assim, quanto mais “conhecedor”, “pensador”, “palrador” e pleno de si, menos tendência terá a interrogar-se acerca de quem é.

No entanto, é habitual ouvir pessoas afirmar que querem conhecer-se melhor! Talvez lá bem no fundo, nalgum canto recôndito, a sabedoria procure transmitir-lhe um vestígio da sua existência esquecida. O acesso foi inibido, mas a integralidade permanece.

O facto de haver cada vez mais pessoas de todos os cantos do planeta e de todos os estratos sociais que, insatisfeitos com a rotina ou ocupação em que vivem ou vegetam procuram algo diferente, poderá indiciar que essa parte da sua essência acede cada vez mais vezes à sua consciência de homens procurando despertá-los para uma realidade mais consentânea com a condição humana.

Também os jovens e as crianças ainda fortemente ligados a essa parte deles mesmo manifestam incompreensão ou revolta relativamente à actuação dos “adultos”, pois não entendem tais reacções e formas de ver ou viver.

Fonte: Escola Portuguesa de Reiki e Terapias Complementares
Carlos Marques

Saturday, 30 August 2008

Pura coincidência? (1)



Uma fatia de cenoura parece um olho humano. A pupila, íris e linhas raiadas são semelhantes ao olho humano... e SIM, a ciência agora mostra que a cenoura fortalece a circulação sanguínea e o funcionamento dos olhos.

-----/////-----/////-----/////-----

A sliced Carrot looks like the human eye. The pupil, iris and radiating lines look just like the human eye...and YES science now shows that carrots greatly enhance blood flow to and function of the eyes.

Pura coincidência? (2)


Um tomate tem quatro câmaras e é vermelho. O coração é vermelho e têm quatro câmaras. Toda a investigação mostra que o tomate é de facto um puro alimento para o coração e circulação sanguínea.

-----/////-----/////-----/////-----

A Tomato has four chambers and is red. The heart is red and has four chambers. All of the research shows tomatoes are indeed pure heart and blood food.

Pura coincidência? (3)


As uvas crescem em cacho que tem a forma do coração. Cada uva assemelha-se a uma célula sanguínea e toda a investigação hoje em dia mostra que as uvas são também um alimento profundamente vitalizador para o coração e sangue.

-----/////-----/////-----/////-----

Grapes hang in a cluster that has the shape of the heart. Each grape looks like a blood cell and all of the research today shows that grapes are also profound heart and blood vitalizing food.

Pura coincidência? (4)


Uma noz parece um pequeno cérebro, com hemisférios esquerdo e direito, cerebelos superiores e inferiores. Até as rugas e folhos de uma noz são semelhantes ao neo-cortex.
Agora sabemos que as nozes ajudam a desenvolver mais de 3 dúzias de neurotransmissores para o funcionamento do cérebro.

-----/////-----/////-----/////-----

A Walnut looks like a little brain, a left and right hemisphere, upper cerebrums and lower cerebellums. Even the wrinkles or folds are on the nut just like the neo-cortex. We now know that walnuts help develop over 3 dozen neuron-transmitters for brain function.

Pura coincidência? (5)


Os feijões realmente curam e ajudam a manter a função renal e sim, são exactamente idênticos aos rins humanos.

-----/////-----/////-----/////-----

Kidney Beans actually heal and help maintain kidney function and yes, they look exactly like the human kidneys.

Pura coincidência? (6)


O aipo, bok choy, ruibarbo e outros são idênticos a ossos.
Estes alimentos atingem especificamente a força dos ossos. Os ossos são compostos por 23% de sódio e estes alimentos têm 23% de sódio.
Se não tiver sódio suficiente na sua dieta o organismo retira sódio aos ossos, deixando-os fracos. Estes alimentos reabastecem as necessidades do esqueleto.

-----/////-----/////-----/////-----

Celery, Bok Choy, Rhubarb and more look just like bones. These foods specifically target bone strength. Bones are 23% sodium and these foods are 23% sodium. If you don't have enough sodium in your diet the body pulls it from the bones, making them weak. These foods replenish the skeletal needs of the body.

Pura coincidência? (7)


Berinjelas, abacates e pêras ajudam à saúde e funcionamento do ventre e do cervix feminino – eles são parecidos com estes órgãos. Actualmente a investigação mostra que quando uma mulher come um abacate por semana, equilibra as hormonas, não acumula gordura indesejada na gravidez e previne cancros cervicais.
E que profundo é isto?... Demora exactamente 9 meses para um cultivar um abacate de flor a fruta. Existem mais de 14 000 componentes químicos fotolíticos em cada um destes alimentos (a ciência moderna apenas estudou e nomeou cerca de 141)

-----/////-----/////-----/////-----

Eggplant, Avocadoes and Pears target the health and function of the womb and cervix of the female - they look just like these organs. Today's research shows that when a woman eats 1 avocado a week, it balances hormones, sheds unwanted birth weight and prevents cervical cancers. And how profound is this? It takes exactly 9 months to grow an avocado from blossom to ripened fruit. There are over 14,000 photolytic chemical constituents of nutrition in each one of these foods (Modern science has only studied and named about 141 of them).

Pura coincidência? (8)


Os Figos estão cheios de sementes, que estão pendurados aos pares quando crescem. Os figos aumentam a mobilidade e aumentam os números do esperma masculino, assim como ajudam a ultrapassar a esterilidade masculina.

-----/////-----/////-----/////-----

Figs are full of seeds and hang in twos when they grow. Figs increase the motility of male sperm and increase the numbers of Sperm as well to overcome male sterility.

Pura coincidência? (9)


As batatas-doces são idênticas ao pâncreas e de facto equilibram o índice glicémico dos diabéticos.

-----/////-----/////-----/////-----

Sweet Potatoes look like the pancreas and actually balance the glycemic index of diabetics.

Pura coincidência? (10)


Azeitonas ajudam a saúde e funcionamento dos ovários.

-----/////-----/////-----/////-----

Olives assist the health and function of the ovaries.

Pura coincidência? (11)


Toranjas, laranjas e outros citrinos assemelham-se a glândulas mamárias femininas e realmente ajudam à saúde das mamas e à circulação linfática, dentro e fora das mamas.

-----/////-----/////-----/////-----

Grapefruits, Oranges, and other Citrus fruits look just like the mammary glands of the female and actually assist the health of the breasts and the movement of lymph in and out of the breasts.

Pura coincidência? (12)


As cebolas parecem células do corpo. A investigação actual mostra que a cebola ajuda a limpar materiais excedentes de todas as células corporais. Até produzem lágrimas que lavam as camadas epiteliais dos olhos.

-----/////-----/////-----/////-----

Onions look like body cells. Today's research shows that onions help clear waste materials from all of the body cells. They even produce tears which wash the epithelial layers of the eyes.

Cenoura - (Daucus carota)



Nome Botânico: Daucus carota

Familia:
Apiáceas

Descrição:
Planta bienal de até 80 cm de altura, com folhas divididas e flores brancas agrupadas em umbelas terminais.

Propriedades: Antidiarreica, remineralizante, diurética.

Indicações: Combate transtornos metabólicos e endócrinos (anemia, hipertiroidismo, dismenorreia, depressão nervosa), diarreia e colite, parasitas intestinais (oxiúros). É usada em cataplasmas (queimaduras) e decocção (rouquidão e tosse). É utilizada (em cataplasma ) para curar feridas infectadas e também como cosmético para embelezar a pele.

Princípios Activos: Pectina, sais minerais diversos (potássio e fósforo), óleo essencial dentre outros.

Toxicologia:
Não encontrada até o momento, porém nenhuma planta deve ser consumida em excesso.

Parte utilizada: folhas, raízes, sementes, óleo das raízes.

Fonte: Plantas que curam

Cenoura - As suas virtudes


Considerada a "Rainha dos vegetais" esta raiz de cor vermelha alaranjada (embora se encontrem outras variedades de cor branca e violeta) constitui um verdadeiro concentrado vitamínico: Muito rica em pro-vitamina A (substância transformada no fígado em vitamina A), vitamina A, ideal no combate aos problemas da visão com função específica na retina; complexo B e vitamina C.

Além do seu teor vitamínico apresenta também uma grande riqueza em sais minerais: ferro (combate a anemia), cálcio (ossos e dentes), potássio, fósforo, níquel, cobre, iodo e manganês). Também apresenta um elevado teor de pectina (substância gelificante).
Em contrapartida não é muito rica em glúcidos daí poder ser consumida em dietas de emagrecimento.
Este tão belo quanto nutritivo alimento deve ser raspado e não descascado e seguidamente salpicado com sumo de limão de forma a evitar a sua oxidação.
Esta raiz pode ser consumida crua em saladas ou cozinhada.

É excelente para prevenir inúmeras maleitas:
Tem propriedades diuréticas, são purificadoras e reguladoras das funções digestivas, fluidificantes da bílis, estimulam o peristaltismo (tem propriedades anti-diarreicas quando ingerida cozida) e auxiliam na cicatrização das feridas.
Consumidas cruas (raladas) são ideais para ajudar a combater atrasos no crescimento ou no combate às infecções.
Dados recentes mostram uma relação entre o consumo de cenoura e uma acção vasodilatadora.
Beber um copo de sumo de cenoura diariamente vai contribuir também para que a pele adquira uma tonalidade bonita e bronzeie mais facilmente.

Nem só a raiz apresenta propriedades medicinais, a suas folhas esmagadas servem para curar feridas podendo ser aplicadas com mel, sendo também muito agradáveis quando consumidas em sopas de legumes.

As sementes além de serem um bom aperitivo também podem ser utilizadas no combate aos parasitas intestinais, fazendo uma infusão de algumas gramas (15 gramas) num litro de água e ingerindo o líquido obtido após a decocção pelo menos de manhã e à noite.
Uma grama de sementes moída e misturada com mel, tomada 3 a 4 vezes por dia ajudam no combate dos cálculos renais.
Sendo uma dádiva da natureza a sua ingestão em nada contribui para danificar o organismo, muito pelo contrário é um grande aliado no combate às infecções, contribui deste modo para funcionamento harmonioso.

http://www.fontedeluz.com/gastronomia/

Maria de Lurdes Mesquita

Benefícios da cenoura


Diz a sabedoria popular que comer cenoura faz os olhos bonitos. Mas as suas virtudes terapêuticas não se ficam por aqui, ajudando também a combater a anemia, doenças da pele e problemas hepáticos.

Verdadeiro cocktail de saúde, a cenoura é um dos vegetais mais consumidos mundialmente, mas os seus primórdios não reúnem o consenso de todos os autores. Alguns acreditam que é originária da Gália, enquanto que outros defendem que provém da Ásia Menor, onde crescia em estado selvagem há mais de três mil anos. Inquestionáveis são as suas as propriedades terapêuticas, úteis para inúmeros problemas de saúde.

Qualidades alimentares e virtudes terapêuticas
A cenoura contém vitaminas A,B e C, uma provitamina A (betacaroteno) antioxidante, além de açucares simples (levulose e dextrose) directamente assimiláveis. Apresenta também 7% de ferro, uma dose activa de cobre, sódio, cálcio, fósforo, bromo, iodo, zinco e manganês.

É laxativa e diurética. Regulariza o trânsito intestinal, cicatrizando e desinfectando a mucosa intestinal e estomacal.
Favorece a taxa de colesterol. Contém docraína, um vasodilatador coronário.
Intervém no bom estado da pele e das mucosas.
É tónica, remineralizante, favorece a hemoglobina (transportador do oxigénio) e contribui para o equilíbrio ácido-básico.
Em uso externo é cicatrizante.

A semente da cenoura é carminativa, estimulante, aperitiva e diurética.

Estados e problemas de saúde que pode beneficiar:

-Anemia, astenia e problemas de crescimento e de convalescença.
-Problemas hepáticos: com a alcachofra, constitui o remédio por excelência para o fígado e para os temperamentos biliosos, utilizando-se para combater a icterícia.
-Irritação gastro-hepática e excesso de acidez no estômago.
- Catarro nasal, sinusite e tosse.
- Sarampo e varicela.
- Eczemas, sardas e acne.
- Deficiência da visão crepuscular e das cores, graças à sua forte concentração em provitaminas A e B9 caratenóides.
- Fotofobia (hipersensabilidade à luz e hemeralopia).

Modo de consumo e utilização:

Em sumo: contra queimaduras, amigdalites infantis e pólipos, gota, reumatismo, artrite, tuberculose pulmonar e lombrigas (também em puré ou ralada).

-Polpa: aplicação para aliviar queimaduras, úlceras, eczemas e hemorragias, bem como para facilitar a cicatrização nas ulcerações.
-Sementes: a infusão de sementes de cenoura é estimulante, diurética e apetitiva.
-Rama esmagada: aplicação sobre as úlceras e feridas purulentas.
-Banhos: contra as frieiras e o cieiro.


Conservação

- No frigorífico, dentro de um saco perfurado, a fim de evitar a condensação que as faz apodrecer. Não as colocar junto a legumes ou frutos que libertem muito gás etileno (pêra, maçã, batata), porque amadurecem prematuramente, diminuindo a conservação e tornando-a amarga.
-Fora do frigorífico, devem ser colocadas num local à sombra, fresco, húmido (95% de humidade) e ventilado.
- As cenouras conservam-se bem dentro de areia fina (até cinco meses)

Sabia que?

Os betacarotenos da cenoura são transformados em vitamina A, um dos componentes visuais responsáveis pela recepção de luz nos olhos

Fonte: Guia dos Alimentos Vegetais

Friday, 29 August 2008

Cuidado com a indigestão!

(Carqueja)

A má digestão é um incómodo que apresenta sintomas como enjoos, sensação de estômago cheio, arrotos, azia, dores abdominais e flatulência, infelizmente é um mal que grande parte da população sofre. Por causa da própria correria do dia-a-dia, as pessoas mal têm tempo de se alimentar e engolem a comida rapidamente, sem uma boa mastigação. Alimentam-se mal, em excesso e incluem na sua dieta muita gordura e fritos, castigam o estômago que tem que trabalhar mais e não consegue trabalhar tanto.

Existem diversos alimentos e chás, que tem a finalidade de estimular a produção de enzimas e regularizar o sistema digestivo (estômago, pâncreas, fígado e intestino) o que ajuda a diminuir os sintomas citados acima.

Dentre os chás, destacam-se:


Hortelã e alecrim:
Para pessoas que sentem os sintomas da má digestão, recomenda-se a ingestão de 50 ml de destes chás 15 minutos antes das grandes refeições, eles estimulam a produção das enzimas necessárias para a digestão.

Boldo:

O Boldo é uma planta original do Chile e muito cultivada na região mediterrânea da Europa. Já é usada há décadas contra a má digestão. O Boldo contém diversos tipos de constituintes primários, incluindo óleos voláteis e flavonóides. A substância activa que estimula a produção da bilis (necessária para a digestão da gordura) é a boldina.

Carqueja:

A carqueja é uma erva original da floresta amazónica, exerce uma acção benéfica principalmente no fígado, em virtude dos seus princípios activos.

Dentre os alimentos, destacam-se o mamão e o abacaxi:

Colocar 1 pedaço pequeno de mamão ou de abacaxi na salada também ajuda a digestão, pois neles encontra-se papaína (mamão) e bromelina (abacaxi) que ajudam a digerir as proteínas.

Suplementos que podem ajudar:


Enzimas Digestivas:
Recomendadas para os casos mais graves, quando o organismo já não produz ou diminuiu a sua produção, necessita de uma quantidade extra onde a inclusão externa destas enzimas é imprescindível para uma boa digestão. Dependendo da composição, pode-se adquirir enzimas para a digestão de hidratos de carbono e/ou proteínas e/ou gorduras e/ou lacticínios. (pois grande parte da população tem diminuição da enzima lactase para a digestão correcta dos laticínios).

Lactobacilos:
Suplementos de probióticos (bactérias amigas) que restabelecem o equilíbrio da flora intestinal, inibem o crescimento de bactérias prejudiciais, promovem uma boa digestão, melhoram o sistema imunológico e melhoram a resistência a infecções. Pessoas com floras intestinais ricas em bactérias benéficas estão mais preparadas para lutar contra o crescimento de bactérias prejudiciais. Lactobacilos são muito usados para ajudar a reduzir a flatulência (gases). Como eles restauram o equilíbrio de bactérias no trato digestivo, eles impedem a multiplicação de bactérias produtoras de gases, dessa forma reduzindo a flatulência e inchaço. Alguns relatos dizem nos primeiros dias usando os lactobacilos pode haver um aumento no número de gases, mas esse efeito logo passa quando o intestino se ajusta a mudança de bactérias.

Wednesday, 27 August 2008

30 Dicas para retardar o envelhecimento


30 DICAS PARA RETARDAR O ENVELHECIMENTO!!!

Sabe-se que o envelhecimento é um processo biológico que pode ser controlado. Há uma série de estudos afirmando que um estilo de vida saudável é uma das chaves da longevidade.
Confira alguns deles:

1. CASE-SE.

Segundo um estudo publicado no Health Psychology Journal, dos Estados Unidos, as pessoas que se mantêm em longas e bem-sucedidas uniões têm uma expectativa de vida maior em comparação àquelas que se casam novamente ou terminam a vida divorciadas (desde que estejam juntas por amor e não por aparência, conveniência ou obrigação social ).

2. EXPRESSE AS SUAS EMOÇÕES.

De acordo com o Journal of Clinical Psychology, da Inglaterra, aqueles que manifestam as suas emoções por meio de alguma actividade artística, como cantar, escrever e pintar, são mais saudáveis do que as pessoas que não o fazem.

3. TENHA HORÁRIOS.
Evite a prática de exercícios entre as 11h. da manhã e a 13h. da tarde, principalmente em lugares reconhecidamente poluídos. É quando a produção de adrenalina atinge o seu pico. O sangue fica mais grosso do que o normal, a pressão arterial sobe e o batimento cardíaco eleva-se. Durante essas duas horas, é maior a probabilidade de uma placa de gordura se romper um vaso, o que pode provocar um derrame cerebral ou enfarte no coração.

4. SEJA SOLIDÁRIO.
Segundo um estudo publicado na revista Psychology Science, dar apoio físico ou emocional a outras pessoas reduz em até 60% o risco de morte prematura no idoso.

5. PREFIRA AS COMÉDIAS.

O riso espontâneo promove a dilatação dos vasos e melhora o fluxo sanguíneo. Também reduz os níveis de adrenalina e cortisol no sangue e aumenta a liberação de endorfinas, hormonas ligadas às sensações de bem-estar e prazer. Quer mais? Ainda emagrece. Estudos da Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos, concluíram que dar boas risadas por um período de dez a quinze minutos faz uma pessoa queimar, em média, 50 calorias.

6. USE O FIO DENTAL.
De acordo com pesquisadores da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, a inflamação bacteriana da gengiva, causada pelo acumulo de resíduos alimentares entre os dentes, aumenta em 72% o risco de doença cardiovascular.

7. IMITE OS BRITÂNICOS.
Ser pontual é bom, mas beber chá é ainda melhor. De acordo com o jornal Phytotherapy Research, o hábito cultivado pelos ingleses pode ajudar no combate à doença de Alzheimer. Estudos indicam também que o consumo de chá reduz os riscos de cancro. O chá verde é o que promete maiores benefícios.

8. LARGUE O CIGARRO.
Fumadores regulares vivem, em média, dez anos menos do que um não-fumador. Cerca de 90% dos casos de cancro é nos pulmões, a neoplasia que mais mata , está relacionada ao tabagismo.

9. TENHA FÉ (Crer não é ter fé cega ).
Segundo o International Journal of Psychiatry and Medicine, ter uma crença forte em algo ajuda a combater o stress e problemas emocionais.

10. BEBA COM MODERAÇÃO.
Estudos mostram que o consumo diário de até duas taças de vinho deve fazer parte da receita para uma vida longa. Até a cerveja, quando consumida moderadamente, pode trazer benefícios à saúde, apontam pesquisas recentes. (CUIDADO, HEIN!!!)

11. COMA MENOS.
Nos Estados Unidos, um estudo comparou cinquentões que viviam de dieta com outros que consumiam, em média, 2000 calorias por dia. A conclusão foi que o primeiro grupo teve uma expectativa de vida cerca de 30% maior, além de aparentar ser mais jovem do que os congéneres da mesma idade.

12. MORE PERTO DE UM PARQUE.
Um estudo realizado por pesquisadores japoneses concluiu que a expectativa de vida dos idosos que moram próximo a áreas verdes é maior do que a daqueles que vivem cercados de arranha-céus.

13. COMA VEGETAIS VERDES.

Vegetais verde-escuros, como espinafre, rúcula e brócolos, são ricos em ácido fólico, uma substância que ajuda a manter a integridade do ADN.•

14. MANTENHA A MENTE ACTIVA.
Pesquisas mostram que a doença de Alzheimer tem uma maior incidência entre as pessoas com baixo nível de instrução.
Estudo publicado no New England Journal of Medicine relaciona a leitura, os jogos de cartas e de tabuleiro e as palavras cruzadas com a redução do risco de demência em pessoas com mais de 75 anos.

15. TOME VITAMINAS.
Cápsulas de vitamina C são as mais indicadas. O seu consumo ajuda a prevenir a degeneração macular, que afecta 3 milhões de brasileiros e é a maior causa de cegueira em pessoas com mais de 50 anos.
Consulte o seu médico sobre a dosagem.

16. CURTA O CHOCOLATE.
Em pequenas quantidades, ele pode ser benéfico à saúde. Segundo estudo do King's College, de Londres, a quantidade de flavonóides encontrada em 50 gramas de chocolate é equivalente à de seis maçãs, duas taças de vinho ou sete cebolas. Os flavonóides têm sido apontados como importantes armas no combate aos radicais livres.

17. DÊ PREFERÊNCIA AOS PESCADOS.

Peixes de água profunda, como salmão e anchova, são ricos em ómega 3. Esse poderoso antioxidante, segundo o jornal da Associação Médica Americana, pode reduzir em até 81% o risco de morte súbita no homem.

18. FAÇA SEXO.

A actividade sexual traz sensações de prazer e bem-estar, combate o stress, aumenta a auto-estima e ainda queima calorias. Estudos mostram que as pessoas sexualmente activas são mais saudáveis. Segundo a OMS, o sexo é um dos quatro pilares da qualidade de vida, ao lado do prazer no trabalho, da harmonia familiar e do lazer.

19. SEJA OPTIMISTA.
Após dez anos estudando como a personalidade de uma pessoa pode influir no aumento ou na diminuição da expectativa de vida, pesquisadores holandeses concluíram que ter uma atitude positiva pode diminuir em até 55% o risco de morte prematura.

20. NÃO PULE O CAFÉ-DA-MANHÃ.

Pesquisa do Instituto de Gerontologia da Universidade da Geórgia, nos Estados Unidos, averiguou que os centenários não costumam dispensar a primeira refeição do dia.

21. TENHA UM ANIMAL DE ESTIMAÇÃO.
O conselho foi seguido por operadores da bolsa de valores de Nova York, avaliados num estudo. Foi tão eficaz no combate ao stress que metade deles suspendeu o uso de medicamentos contra a hipertensão. Quem tem um bichinho em casa vai ao médico com menor frequência, afirmam pesquisadores da Universidade de Cambridge, na Inglaterra.

22. REDUZA O SAL.
Essa medida é importante no tratamento e na prevenção da hipertensão arterial, um dos factores de risco para doença cardiovascular.
Evite mais de 6 gramas por dia, o equivalente a uma colher de chá.

23. INVISTA EM CULTURA.
Depois de acompanhar 12 000 pessoas por nove anos, pesquisadores suecos observaram que, em média, as hipóteses de uma pessoa alcançar a longevidade foram 36% maiores naquelas que cultivavam o hábito de realizar programas culturais, como visitar galerias de arte, assistir a peças de teatro e frequentar concertos musicais.

24. SINTA-SE EM CAPRI
.
Está provado que uma dieta mediterrânea, rica em vegetais, peixes e azeite de oliva, pode afastar doenças como hipertensão, diabetes e obesidade, capazes de encurtar a vida em até dez anos. A pesquisa foi feita com 1 507 homens e 832 mulheres, entre 70 e 90 anos, em onze países europeus.

25. ABUSE DO MOLHO DE TOMATE. (Não industrializado)
Pesquisas conduzidas pelo médico americano Michael Roizen, autor do livro Idade Verdadeira e fundador do Real Age Institute, um dos mais respeitados centros de estudo da saúde e do metabolismo humano, mostram que dez colheres de molho de tomate ingeridas semanalmente podem reduzir pela metade o risco de ocorrência de onze tipos de câncer. O tomate é rico em licopeno, um antioxidante encontrado nos vegetais vermelhos.

26. DURMA BEM. Estudos sugerem que a falta de sono crónica pode ter um impacto negativo nas funções metabólicas e endócrinas. Quando se dorme menos de cinco horas, há um desequilíbrio no metabolismo.

27. CONTE ATÉ CINCO.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, esse é o número mínimo de porções de frutas e vegetais que uma pessoa deve comer por dia. A OMS defende que uma alimentação equilibrada e rica em vitaminas, fibras e minerais pode reduzir em até 40% o risco de cancro.

28. VÁ AO OFTALMOLOGISTA.
Depois dos 50 anos, a chamada vista cansada torna-se ainda mais comum. Com a idade, também aumentam os riscos de glaucoma e catarata. Além disso, alterações de fundo de olho podem indicar a presença de diabetes e hipertensão.

29. MODERAÇÃO COM A CARNE VERMELHA.
Pesquisa sobre hábitos alimentares em dez países europeus concluiu que o consumo diário de carne vermelha aumenta o risco de cancro do intestino em até 35%. Mas não a evite.
Proteínas são essenciais para quem faz actividade física regularmente, não só porque dão resistência mas também porque ajudam a tornear os músculos.

30. MOVA-SE.
De acordo com a Associação Americana do Coração, o sedentarismo, por si só, aumenta o risco de doença coronária em, pelo menos, uma vez e meia.
Exercícios diários moderados ajudam a aumentar o tempo de vida em até seis anos.

Fonte:
Revista Psychology Science, Journal of Clinical Psychology, Universidade Vanderbilt, Universidade Harvard, Associação Médica Americana, International Journal of Psychiatry, Phytotherapy Research, New England Journal of Medicine, Journal of the American Medical Association, King´s College, Universidade de Cambridge, Federação Mundial de Cardiologia e Organização Mundial de Saúde, RealAge Institute, Universidade da Geórgia e Universidade de Loma. --- Adriani F. Zadrozny Psicóloga

Sunday, 24 August 2008

O limão é verdadeiramente uma jóia da natureza...

O limão é verdadeiramente uma jóia da natureza.

Pode ser considerado o rei dos frutos curativos, sendo impressionante a quantidade e variedade das suas aplicações. No entanto, tendemos a repudiá-lo, quando pensamos no seu gosto azedo, e a minimizar as suas virtudes, tanto na manutenção e recuperação da saúde, quanto ao seu valor nutricional e possibilidades múltiplas de utilização culinária.

História do Limão
O Limão é o fruto do limoeiro (Citrus Limon), da família das rustáceas, que integra o grupo das frutas cítricas.
A grande maioria dos frutos cítricos teve origem na Ásia, mais de qualquer forma não há relatos nem estudos que indicam a verdadeira origem do limão.
O interesse comercial surgiu mais intensamente quando descobriram que ele tinha uma grande quantidade de vitamina C e que se conservava por muito tempo.

Os maiores mercados mundiais são os países da Europa Ocidental, Estados Unidos e Japão.
Os principais países produtores são: México, Argentina, Brasil, Estados Unidos e Espanha, sendo que no Brasil e no México a maior proporção é de limas ácidas ‘Limão Tahiti’, e na Argentina e Espanha quase toda a produção é de limão.

O Limão foi trazido para o Brasil pelos portugueses, e se deu muito bem com o clima, pois necessita de áreas quentes e húmidas, floresce e frutifica o ano todo.

É uma das frutas mais conhecidas do mundo, pelas suas aplicações domésticas (culinária) e em fitoterapia (tratamentos de saúde), tudo nele é aproveitado.

O limão e a Medicina Oriental

O limão é considerado pela milenar medicina hindu Ayurvédica (a mais antiga do planeta), como "o alimento mais fantástico da humanidade!"

Curiosamente, o limão é a fruta que mais depende da fotossíntese para a sua perfeita maturação e fartura em sumo. Portanto, o limão é, de todas as frutas e alimentos de origem vegetal, o maior reservatório de energia solar. Luz e Prana (energia cósmica) concentrados nesta fruta tão popular, acessível a todos, principalmente para nós, que vivemos num país ensolarado. E, para quem vive em países mais frios (carentes de sol), o limão é “o reservatório” de luz de mais fácil acesso.
No simples acto de ingerir o sumo fresco de um limão acontece algo como colocar um “quantum” de sol dentro de nós, iluminando o nosso interno: cada célula, cada sombra, cada impureza.

Assim sendo, o limão tem motivos de sobra para ser o primeiro na lista dos alimentos que favorecem a vida: o bom-humor, o bom astral, a lucidez, a clareza, a verdade (ilumina tudo), a vitalidade, a fecundidade (de ideias, de visões, de gestação...) e a memória.

O seu sumo fresco, as suas flores (que geram o óleo essencial da Aromaterapia conhecido como néroli e o floral de limão), as suas cores (o verde-limão é especialmente valorizado nos tratamentos via Cromoterapia), as suas fibras (pectina e celulose), as suas vitaminas (C e as citrinas) e o óleo essencial contido na sua casca (d-limoneno) favorecem a:

- Vitalidade - quando activa o sistema imunológico, age como um fixador de vitaminas e sais minerais e como um antibiótico natural;
- Juventude - quando actua como antioxidante e alcalinizante de todos os líquidos corporais;
- Desintoxicação e limpeza de todos os órgãos e sistemas excretores - fígado, rins, pulmões, intestinos e pele;
- Todos os sentidos (visão, olfacto, tacto, audição, paladar e demais sentidos) – quando harmoniza todos os órgãos, vísceras, sistemas e meridianos de energia.

Mas, quando falamos especificamente de visão, e procurando entender o corpo humano de uma forma holística, como é o caso da Medicina Tradicional Chinesa (MTC), precisamos falar de fígado e vesícula biliar.

E, quando falamos no fígado, do ponto de vista energético, estamos a falar do fígado propriamente, mas também da vesícula biliar, dos olhos, dos ombros, dos joelhos, dos tendões, das unhas, dos seios, e todo o aparelho reprodutor feminino, desde ovários, trompas, útero até a vagina. Por esse motivo, na MTC se diz que o fígado é o órgão mais importante para a mulher, assim como o rim é o órgão mais importante para o homem.

Quando o fígado funciona mal, pode ter certeza que alguns dos aspectos da saúde citados acima (1 ou mais) poderá estar a dar avisos, sinais de alerta. Mas, com certeza, a sua capacidade de ver a vida, a VISÃO, estará a dar sinais gritantes: vamos buscar “observar” atentamente o que está a mostrar dificuldade.

Procure sim um oftalmologista, para avaliar a melhor forma de tratar os sintomas. Porém a causa, muito provavelmente está no sistema hepático. Ou seja, usar (ou mudar) os óculos, fazer uma cirurgia, poderá solucionar (temporariamente) os sintomas, mas não a CAUSA.

Importante diferenciar o significado de VER do OBSERVAR. O VER é superficial e raramente possibilita registro (arquivos, memórias) do que foi visualizado. O OBSERVAR é uma percepção em estado de alerta, de presença e possibilita o estado meditativo, o registro do aqui e agora. O OBSERVAR costuma ir além do físico, capacitando percepções do que está oculto, o que se conhece como “intuição, inspiração ou sexto sentido”.
E, sem OBSERVAR, sem estar a perceber a vida no mundo da realidade (estado de alerta ou meditativo), vai para o espaço a intuição (criatividade e inspiração), a fé (oposto da ansiedade, medo e pânico), o bom-humor e a alegria (qualidade e significância da vida), o equilíbrio e a inteligência (capacidades de observar o outro e as soluções).
E trata-se de um círculo fechado: observar ajuda na tonicidade do fígado e um fígado saudável nos ajuda a enxergar melhor.

Logicamente, para quem não tem a visão física, estamos a falar da visão transcendental.
Encarar serenamente um desafio - observá-lo de frente -, sem ilusões (falsas expectativas, auto-enganos ou mentiras), sem esconder as prioridades e providências debaixo do tapete; torna tudo mais fácil e digerível. Solucionável.

Esse comportamento facilita a decomposição dos alimentos, inclusive os mais pesados como as gorduras e vitaminas oleosas. A digestão dos desafios da vida. A leveza e o gosto da superação. Os olhos que brilham (sem necessitar de palavras) e transbordam a felicidade. Felicidade não se conta ou explica, irradia-se através dos olhos, dos poros.
Atitudes negativas, de não querer enxergar os desafios, de não se preparar para enfrentá-los, torna os desafios ainda maiores, dificultando todas as funções do fígado, vesícula biliar e visão. Tudo fica indigesto, mais difícil de enxergar.

Felizmente, o fígado possui uma grande capacidade de regeneração, qualidade intensificada em pessoas mais flexíveis às mudanças e com facilidade de se refazerem a partir de situações difíceis.
E, nesta situação, o consumo diário do limão é uma decisão sábia, pois ele será um cúmplice, uma ferramenta para a pronta recuperação deste sistema, reactivando a harmonia metabólica do organismo. O limão, com o seu sabor ácido e poder laxante irá actuar como um desintoxicante específico. A sua qualidade “solar” irá tornar “hilária” as atitudes de acumular iras, ilusão de culpar os outros, vítima e apego ao não “observar”.

Metafisicamente, os distúrbios do fígado são provenientes do hábito de se queixar com amargura e rabugice apenas para se iludir (resistir às mudanças, ao próprio poder) de pensamentos agoniados, plenos de raiva, medo e ódio de situações do passado. Revela um não querer OBSERVAR ou observar-se. Simples, não?
Já ouviu alguém falar: A raiva cegou-me! Diante do medo me deu uma branca! Era tanto ódio que nem conseguia ver!
Vamos trocar? Vamos sair destas defesas?

As afirmações adequadas para iniciar o processo de cura segundo a Louise L. Hay no seu livro “Pode Curar a sua Vida”, são:

"Liberto o passado e avanço para o futuro". Ou seja, só tenho olhos para o futuro. Observo meu futuro de forma iluminada.

"Adapto-me com doçura ao fluxo da vida. Faço as pazes com o meu passado".

Os agentes físicos que causam dano ao fígado e a visão são: Álcool, fumo, café, chá (excepto o verde e os de ervas), cacau, excitantes, açúcar branco, adoçantes artificiais, alimentos refinados, produtos químicos sintéticos, gordura animal, frituras e alimentos muito industrializados.

Sites consultados:

http://somostodosum.ig.com.br/
http://www.circuitomt.com.br/

Saturday, 23 August 2008

Oliveira (Olea europaea)


Oliveira
Olea europae
a L., var. europaea (MilIer) Lehr


Família:
Oleáceas

Nomes vulgares: Oliveira-brava para a Oleo europaea L. var. sylvestris (Miller) Lehr, também denominada zambujeiro.

Habitat e distribuição: É originada do sul do Cáucaso, das planícies altas do Irão e do litoral mediterrâneo da Síria e Palestina, expandindo posteriormente para o restante do mediterrâneo e em zonas americanas de clima semelhante. Cultivada em quase todo o país.

Partes utilizadas: Folhas e óleo obtido dos frutos (azeite).

Constituintes:
- Folhas:
iridóides (6%) (oleoeuropeósido); derivados da colina; flavonóides derivados do luteol e do olivol; constituinte amargo (olivamarina); derivados triterpénicos (ácido oleanólico); saponósidos; ácidos fenólicos; sais minerais (cálcio); manitol; taninos; ceras.
- Óleo: ésteres glicéridos dos ácidos oleico (78 a 86%), linoleico (até 7%), palmítico e esteárico (9 a 12%); fitosteróis; vitaminas A e E.

Propriedades Terapêuticas do Óleo de Oliva: Os benefícios à saúde produzidos pelo óleo de oliva devem-se, basicamente, às substâncias que contém. A sua alta quantidade de gordura monoinsaturada reduz o LDL (mau colesterol) e, ao contrário do que ocorre com a gordura saturada de origem animal, não é transformada em colesterol. Dessa forma, o consumo regular de óleo de oliva reduz a possibilidade da formação de placas de ateroma na parede dos vasos sanguíneos. Isto, por sua vez, leva a um menor risco de doença cardíaca como enfarte do miocárdio, e também de acidentes vasculares cerebrais (derrame). Além da gordura monoinsaturada, com todos os seus benefícios, o óleo de oliva é rico em polifenóis (substâncias químicas vegetais que são potentes anti-oxidantes). Ao prevenir as oxidações biológicas, os polifenóis reduzem a formação de radicais livres. Estes, através do dano celular que produzem, são os grandes vilões do envelhecimento e das doenças crônico-degenerativas, como o cancro.

Usos Etnomédicos e Médicos: - Folhas: na hipertensão moderada, prevenção da arteriosclerose e reumatismo. - Óleo: internamente na disquinesia hepatobiliar, obstipação, e hipercolesterolemia; como lubrificante e anti-inflamatório intestinal. Externamente em afecções cutâneas, queimaduras solares ou queimaduras de primeiro grau.

Principais indicações: Hipertensão arterial.

Contra indicações: Não utilizar o azeite, como colagogo quando exista obstrução das vias biliares.

Efeitos Secundários e Toxicidade: As folhas, pelos taninos. são ligeiramente irritantes para a mucosa gástrica pelo que as preparações devem ser tomadas durante as refeições.

Aromaterapia:
Tem acção regenerativa da epiderme e, devido à sua alta concentração de ácido oleico, é um excelente emoliente. Contém grande quantidade de esqualeno vegetal.

História: Na Grécia antiga já se falava das oliveiras. Contam eles que durante as disputas pelas terras onde hoje se encontra a cidade de Atenas, Possêidon, com um golpe de seu tridente, teria feito surgir um belo e forte cavalo. A Deusa Palas Atenas, teria então trazido uma oliveira capaz de produzir óleo para iluminar a noite e suavizar a dor dos feridos, fornecendo alimento rico em sabor e energia. Do outro lado do mediterrâneo, os italianos contam que Rômulo e Remo, descendentes dos deuses fundadores de Roma viram a luz do dia pela primeira vez sob os galhos de uma oliveira.
O facto concreto é que vestígios fossilizados de oliveiras são encontrados na Itália, no Norte da África, em pinturas nas rochas das montanhas do Saara Central, com idade de seis mil a sete mil anos, entre o quinto e segundo milénio a.C. Múmias da XX Dinastia do Egipto foram encontradas vestidas com granalhas trançadas de oliveira e em Creta, registos foram encontrados em relevos e relíquias da época minóica (2.500 a.C.).

Curiosidades: "Cultivada no Antigo Egipto há mais de quatro mil anos, os egípcios da VII Dinastia designavam-na por Tat; os gregos já a agricultavam no tempo de Homero; na Síria, desde o III milénio (.) o rei Salomão enviava o azeite a Hirão I rei de Tiro, em troca de materiais e dos artesãos que destinava à construção do templo; Josué e Zorobabel já comercializavam azeite com as populações de Sidon e Tiro por troca de madeira dos cedros do Líbano; na Palestina, o rei David fá-la guardar por intendentes especiais e os oásis líbios povoam-se desta árvore de frutos nutritivos"
O ramo de oliveira é utilizado como símbolo cristão por a Bíblia referir que a pomba enviada por Noé trouxe um ramo de oliveira como anunciador da misericórdia divina. Estima-se que algumas das oliveiras presentes em Israel nos dias actuais devam ter mais de 2500 anos de idade, e possivelmente presenciaram a passagem de Jesus Cristo por aquelas terras.

Nota: A oliveira é uma das quatro árvores cardinais do Calendário Celta (com o carvalho, a bétula e o freixo).


_____________________________________________________________________
Fonte: "Algumas das Plantas usadas em Fitoterapia"

Autora: Maria da Luz Cardoso

(Trabalho apresentado à ESMOT - Escola Superior de Medicina Oriental e Terapias - como requisito para o Curso de Acupunctura e Fitoterapia)
____________________________________________________________________

Azeite - O Rei da dieta mediterrânea


Com aromas marcantes e cores variando entre o dourado e o verde, o azeite é o rei da dieta mediterrânea, uma das mais equilibradas do planeta. Praticamente livre de colesterol, esse óleo extraído da azeitona é capaz de dar status de iguaria até mesmo a um prato trivial. Quanto mais puro o azeite, melhor será o resultado ao paladar.

História

Na Europa e Ásia Menor, o azeite é apreciado desde tempos imemoriais. Pesquisas indicam que as primeiras azeitoneiras surgiram no Paleolítico Superior. O processo de cultivo iniciou-se no território hoje ocupado pela Turquia, por volta de 6000 anos atrás, e de lá se espalhou por toda região que circunda o Mediterrâneo, como aponta Maguelonne Toussaint-Samat em "Histoire Naturelle et Morale de la Nourriture".

Por volta de 3000 a.C. a oliveira já era cultivada por todo o "Crescente Fértil", hoje chamado de Oriente Médio. Um milénio mais tarde, apareceram os relatos sobre grandes olivais que cercavam as cidades. Entre os exemplos está uma inscrição do tempo de Ramsés II (1197-1165 a.C.), descoberta em Heliópolis, no templo do deus Rá. Curiosamente, esse azeite não tinha como principal destino a alimentação, mas fornecer iluminação ao palácio sagrado.

Comerciantes exemplares, os fenícios foram importantes na difusão de conhecimentos e alimentos em seu tempo. Nas suas viagens, introduziram as oliveiras nas ilhas gregas. Não demorou para que o azeite se transformasse no principal produto de exportação de Creta, transportado em ânforas. Apesar de terem sido os gregos os responsáveis pelo aperfeiçoamento do cultivo e do aprimoramento de técnicas de prensagem e extracção do óleo, com os romanos as oliveiras conheceram o milagre da multiplicação. Conquistadores, os romanos levaram mudas a todos os territórios anexados, propiciando a difusão não só pela Europa, como em todo restante das margens do Mediterrâneo: Tunísia, Argélia e Marrocos.

Junto do trigo e do vinho, o azeite compunha a tríade agrícola do modelo alimentar adoptado por gregos e romanos. O célebre gastrónomo Apicius, nas 468 receitas que compilou entre a nobreza de Roma, registra dez ingredientes essenciais na preparação de um prato. Por ordem de frequência, o azeite aparece como terceiro da apreciada lista.

O óleo de oliva não fazia parte apenas da mesa dos antigos gourmets. Era um produto com 1001 utilidades. Gregos usavam-no em massagens nos ginásios, buscando assim manter a flexibilidade muscular. Também era componente de produtos de higiene e beleza como máscaras faciais e champôs. Fãs incondicionais do azeite, os romanos preparavam unções, consideradas bálsamos da juventude. Tantas qualidades fizeram com que a oliva e seu extracto aparecessem nos cantos de Homero, Ésquilo, Sófocles, Virgílio, Ovídio, Plínio e Marcial. Grande entusiasta da oliveira, Sófocles não se cansava de elogiar a imortalidade da "árvore invencível que renasce de si mesma".

Durante o período de expansão árabe pela Europa, as oliveiras continuaram a prosperar ao mesmo tempo em que no Oriente Médio a produção se concentrava na região onde hoje é a Síria e a Palestina, como registra Reay Tannnahill, em "Food in History". Foram justamente os árabes que legaram o nome com que este óleo é conhecido: az+zait, ou seja, sumo de azeitona. Apesar das proibições religiosas alimentares da Idade Média, os europeus mantiveram presente e crescente o hábito de se alimentar com pão e azeite, dando continuidade à tradição romana.

Ainda de acordo com a socióloga escocesa Tannnahill, na Península Ibérica as oliveiras chegaram em 1000 a.C. e revolucionaram a culinária local. Na Espanha, o cultivo de olivas aperfeiçoou-se ao longo dos anos. Sevilha tornou-se o grande produtor do óleo desde o século XVIII. Com clima quente e terreno pedregoso, há muito que a Andaluzia faz do seu país o maior produtor mundial de óleo de oliva.

O número surpreende: 90% do azeite consumido no mundo hoje vem do Mediterrâneo.
Os dois maiores produtores são Espanha, a líder, seguida da Itália. A Espanha produz anualmente entre 700 mil e 800 mil toneladas. Mas já chegou a ultrapassar a casa de 1 milhão de toneladas. Para obter um rendimento tão grandioso, possui 250 milhões de oliveiras distribuídas por 2 milhões de hectares, como informa o governo espanhol. Anualmente, o país tem exportado uma média de 250 mil toneladas de azeite, que têm como destino cem países nos cinco continentes.

No período das grandes navegações, o azeite desempenhou outro papel indispensável: o de medicamento. Nas naus que singraram os mares em direcção à América, à África e à Ásia, portugueses e espanhóis adoptaram o óleo na preparação de unguentos salvadores. Entrava na composição básica de sete das 22 pomadas e produtos farmacêuticos indispensáveis para a Armada portuguesa, por exemplo. Na corte de d. João V, também foi um remédio prescrito pelo médico real Francisco da Fonseca Henriques.

Por onde passaram, os navegadores foram lançando sementes de oliveira, que se encontram hoje em locais tão distintos como África do Sul, Uruguai, Japão e Austrália. Em Portugal até hoje reza o ditado: "A melhor cozinheira é a azeiteira.". No Brasil, há plantações no Rio Grande do Sul e também na cidade mineira de Maria da Fé, onde é usada apenas como decoração de praças e ruas.

Na Península Ibérica é possível encontrar árvores milenares. Graça à sua resistência, a oliveira ganhou a fama de ser imortal. Foram os romanos os primeiros a alimentar essa origem mítica. Na Bíblia, durante o dilúvio virou sinonimo de bons augúrios. Foi com um raminho dessa árvore que uma pomba retornou à arca de Noé e anunciou ao patriarca que havia um terreno seco sobre a terra. No monte das oliveiras Cristo foi traído e com o óleo sagrado das olivas ungido por Maria Madalena depois de sua morte. O azeite também faz parte dos sacramentos: baptismo, crisma e extrema-unção. O Al-Corão também traz referências ao azeite.

Se são infindáveis as histórias e lendas sobre o azeite e seu uso, não é menor a sua versatilidade na cozinha. Considerado por médicos e especialistas em nutrição, como um dos alimentos mais saudáveis que existem, tem a propriedade de proteger o sistema arterial. "É uma gordura rica em ácidos gordos monoinsaturados que ajudam na diminuição do colesterol ruim sem que a refeição perca o sabor", afirma a nutricionista Neide Rigo.


Fonte:
http://www.herbario.com.br/

Friday, 22 August 2008

Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra)


Alcaçuz - Glycyrrhiza glabra

Família:
Fabáceas (Leguminosas)

Nomes vulgare: Alcaçuz-doce, Pau-cachucho, Pau-doce, Raiz-doce, Regaliz.

Brasil:Alcaçuz-da-Europa, Alcaçuz-glabro, Madeira-doce.

Nome sânscrito: Yasthimadh

Habitat e distribuição: Planta herbácea perene, espontânea no Sudoeste europeu e no Sudoeste e Centro Asiático, muito cultivada em terrenos férteis, siliciosos e frescos, sem serem húmidos. Na Europa encontra-se a variedade typica, na Rússia a glandulifera e no Iraque a violácea.

Partes utilizadas: Raízes e rizomas do 3º ou 4º ano, colhidos no Outono, não mondados.

Constituintes: Saponósidos triterpénicos, ácido glicirrízico, glicirrizina, glicerretina, fitoestrogénos, flavonas, flavonóides e isoflavonóides, triterpenos, esteróides, hidroxicumarinas. Amido, (glucose) e holósidos (sacarose).

Farmacologia e Actividade Biológica: Acção antiulcerosa devido ao efeito anti-inflamatório e espasmolítico. Acção expectorante e mucolítica, antitússica, efeitos antivirais e antifúngicos. Todas essas acções são atribuídas à glicirrizina e à glicerretina que também são responsáveis pelos efeitos mineralocorticóides típicos de fármaco. O ácido glicirrízico transforma-se em ácido glicirrético. Essa substância química inibe a enzima que metaboliza o esteróide natural, o cortisol. Isso resulta na circulação desse esteróide em níveis mais elevados, com seus renomados efeitos anti-inflamatórios.

Usos Etnomédicos e Médicos: Bronquites, antitússico. Coadjuvante no tratamento de perturbações de tipo espasmódicas associadas a inflamações da mucosa gástrica (gastrites crónicas e úlceras duodenais). Inflamações virais do fígado. Tratamento de dermatites e estomatites, externamente.

Principais indicações: Gastrite, como preventivo da úlcera péptica, suavizante da tosse e da bronquite.

Contra indicações: Hipertensão arterial, doenças acompanhadas de hiperestrogenismo ou tumores estrogénio dependentes. Diabetes (pelo conteúdo de glúcidos.

Efeitos secundários e toxicidade: Pela sua actividade estrogénica e mineralocorticóide não deve ser administrada durante longo períodos, não mais de 6 semanas, nem em associação com medicamentos hipertensores ou corticóides. Pode elevar a tensão arterial, porque faz o organismo conter o sódio em demasia.

Medicina Ayurvédica e o Alcaçuz: Além da capacidade de adoçar, cinquenta vezes maior do que a do açúcar, o alcaçuz contém algumas substâncias medicinais terapêuticas. Possui vários usos potenciais em doenças dos sistemas respiratório e digestivo. O sabor extremamente doce faz do alcaçuz um aditivo ideal para disfarçar outros remédios e ervas de sabor menos agradável. O seu nome em sânscrito, yasthimadhu, significa (bastãozuinho doce”. O Alcaçuz é predominantemente doce e amargo e tem um efeito refrescante. Embora, pelo seu sabor adocicado e propriedade refrescante, talvez não se perceba o seu valor em situações Kapha, como na congestão do trato respiratório superior, a sua propriedade de libertar e eliminar muco supera o seu potencial de aumentar efeitos Kapha. A sua forte propriedade tende para Vata, enquanto a sua influência refrescante torna o alcaçuz especialmente útil para equilibrar um Pitta agravado.

Curiosidades: Das suas raízes extrai-se um suco que é vendido comercialmente com vários tamanhos e formas diversas. No Brasil costuma-se dar às crianças uma raiz de alcaçuz em forma de “chupeta” para amaciar as gengivas inflamadas.



______________________________________________________________________________________
Fonte:
"Algumas das Plantas usadas em Fitoterapia"

Autora:
Maria da Luz Cardoso

(Trabalho apresentado à ESMOT - Escola Superior de Medicina Oriental e Terapias - como requisito para o Curso de Acupunctura e Fitoterapia)
____________________________________________________________________

Andiroba (Carapa guianensis )


Há mais de um século as mulheres da Amazónia usam o óleo de andiroba como cicatrizante, principalmente em ferimentos causados por picadas de cobra, aranha, escorpião e insectos. Enquanto se dedicam à tarefa de depurar o óleo, elas fazem bolas do bagaço e queimam-nas para afugentar os mosquitos.
Em alguns estados da região Norte, principalmente no Pará, é comum extrair-se a andiroba, um óleo grosso e bem amargo, que também é usado como combustível de iluminação, na fabricação de sabão e como protecção para madeira.. Trata-se de um azeite precioso, que representa uma verdadeira riqueza em virtude de suas múltiplas aplicações.

A andiroba é a oferta que a Amazónia faz ao mundo do futuro, segredo que a cultura cabocla guardou, por milénios, para a cura e o embelezamento da humanidade. Esta árvore amazónica é típica das várzeas e ilhas. As suas flores produzem uma agradável fragrância, perfumando as alturas e atraindo os pássaros que passeiam pelo céu da Amazónia.

O óleo extraído dessa semente possui propriedades regeneradoras, amaciando e estimulando a pele e aliviando as dores causadas por inflamações. O óleo também é utilizado no relaxamento muscular, na fadiga, como anti-séptico, emoliente e hidratante.
Por causa dessas propriedades, o óleo de andiroba deixa a pele macia e acetinada. Os caboclos fazem sabonete medicinal usando o óleo de sua semente somado a cinzas de madeiras e resíduos da pele do coco e ainda garantem que a andiroba previne contra a temerosa celulite.

Da família Meliaceae, seu nome botânico é Carapa Guianensis e as partes que devem ser utilizadas são as folhas, a casca e as sementes.

A sua casca é constituída por carapina; o óleo extraído das sementes contém, em média: ácido mirístico - 18%; ácido palmítico - 9 a 12%; ácido oleico - 56 a 59%; ácido linoleico - 7,5 a 9,5; as sementes contém de 36 a 60% de óleo.

Como fitoterápico é indicado para a febre, vermes intestinais, afecções de pele (vermelhidão, feridas, inchaços), picadas de insectos. Para uso interno deve ser usado como decocção de cascas a 10% (febres e vermes intestinais; e as sementes como purgativos.

Como fitocosmético, em cremes e hidratantes; o óleo, em champôs, condicionadores, cremes, loções e géis, na dosagem de 2 a 5%. A casca, muito amarga, actua na eliminação de vermes intestinais e baixando a temperatura corporal.

Uso medicinal
Actua, na pele, regenerando e estimulando o tecido epitelial. Alivia e acalma a dor de tecidos inflamados. As folhas frescas contribuem para a cicatrização das feridas e contusões e actua, também, como vermífugo e febrífugo. As sementes desenvolvem uma actividade purgativa. O óleo amacia a pele, regenera o tecido e apresenta óptimo efeito, também, sobre os tecidos inflamados. Funciona como febrífugo, vermífugo, purgativo, cicatrizante, emoliente, anti-séptico, hidratante e suave.
A Andiroba (Carapa guianensis ) é uma árvore alta que cresce a uma altura de até 25 metros. As sementes de Andiroba fornecem um óleo amarelo com propriedades insectívoras e medicinais.

O método tradicional para produção do óleo de Andiroba é colher as sementes que, após ter caídas da árvore, flutuam no rio. Em seguida, as sementes são fervidas. Depois de duas semanas o óleo é extraído com uma simples prensa chamada "tipiti".

O óleo de Andiroba é usado pelos indígenas misturado com corante de urucum (Bixa orellana L.) para repelir insectos, e como medicamento contra parasitas do pé.


Velas repelentes
A fabricação de velas repelentes de insectos, especialmente os mosquitos do género Anopheles, transmissores da malária, surge como um grande potencial. Recentemente descobriu-se que as velas feitas com andiroba repelem o mosquito que transmite a dengue (Aedes aegytpi).


Medicina tradicional

A casca é utilizada para o preparo de um chá contra febre, o qual também serve como vermífugo. Transformada em pó, trata feridas e é cicatrizante para afecções da pele. Os caboclos fazem um sabão medicinal com o óleo bruto, cinza e resíduos da casca de cacau. Além de ser empregado na fabricação de sabão, também fornece um óptimo combustível utilizado para iluminação nas áreas rurais.
O óleo é muito usado na medicina doméstica para fricção sobre tecidos inflamados, tumores e distensão muscular. Além disso, sabe-se ainda que o óleo da andiroba é utilizado como protector solar e a casca e a folha servem contra reumatismo, tosse, gripe, pneumonia, depressão.

A andiroba forma parte do elenco de plantas medicinais sendo estudados pela "Central de Medicamentos" (CEME) do Brasil. Ela pode ser utilizada no combate as infecções do tracto respiratório superior, dermatites, lesões dermáticas secundárias, úlceras, escoriações, e tem propriedades cicatrizantes e antipiréticas.

O óleo de Andiroba é utilizado em vários produtos para tratamento de cabelo, deixando o cabelo sedoso e brilhante.

Na indústria farmacêutica homeopática, onde está a ser comercializado na forma de cápsulas, é utilizado para diabetes e reumatismo, e o bálsamo para uso tópico de luxações e na fabricação de sabonetes medicinais.

Fonte...... http://www.amazonlink.org/biopirataria/andiroba.htm

Thursday, 21 August 2008

Depuralina



A FÓRMULA DA SAÚDE

Diariamente, milhares de pessoas consomem DEPURALINA como parte da sua dieta regular. Um produto 100% natural e depurativo, sem os riscos dos compostos químicos. A DEPURALINA é um suplemento alimentar com alto conteúdo em fibras e de baixo teor calórico.


COLESTEROL
A DEPURALINA contém sementes de linho do Canadá. Embora possa ser colhido em qualquer parte do mundo, o canadense, devido à temperatura fria do seu solo, contém mais ácidos gordos Ómega 3, 6 e 9 que qualquer outro. O seu elevado nível em Ómega pode ajudar a diminuir o nível do mau colesterol de triglicéridos. Também contribui para a perda de peso a nível celular.


DIGESTÃO E OBSTIPAÇÃO

A DEPURALINA ajuda em problemas crónicos de obstipação e na regulação do sistema digestivo criando uma sensação de bem-estar. O alto conteúdo em fibras colabora na limpeza do sistema intestinal eliminando através do cólon os resíduos de alimentos.


EXCESSO DE PESO

A DEPURALINA também contém extracto de fibra de figueira-da-índia, que tem propriedades diuréticas e ajuda a metabolizar os açúcares. Por este motivo, é um bom apoio para reduzir o peso, sempre e quando combinada com uma dieta equilibrada. A DEPURALINA pode colaborar no efeito de limpeza das artérias, queimando gorduras e reduzindo os níveis do mau colesterol sanguíneo. As suas fibras solúveis e insolúveis incluem pectina e gomas como a beta-glucano que se encontram na aveia. Muito importante para suavizar o efeito irritante das fibras no intestino. As fibras actuam também como saciador, reduzindo o apetite.


FLORA BACTERIANA

Uma pessoa pode ter cerca de 0.5 quilos de bactérias más no seu intestino. O teor de diversos tipos de flora bacteriana ajuda a eliminá-las. A DEPURALINA tem 9 estirpes de probióticos com fórmula gastro-resistente que atravessam a barreira gástrica.


AÇÚCAR
A DEPURALINA pode ajudar a activar a regulação de insulina e os níveis de açúcar no sangue. As dietas com alto nível de hidratos de carbono aumentam a glucose que por consequência aumenta a produção de insulina. Por essa razão as pessoas tendem a sentir-se cansadas e débeis.


FÍGADO
A alcachofra e o dente de leão podem ajudar a depurar o fígado. O fígado é o grande laboratório do organismo. É o encarregado de filtrar todos os tóxicos e através do sangue arterial alimentar todas as nossas células. Quando o fígado está congestionado não filtra bem e envia um excesso de tóxicos para as nossas células, sobrecarregando o tecido que as rodeia, impedindo a sua oxigenação e alimentação.


COMPOSIÇÃO 100% NATURAL. MATÉRIA-PRIMA DE PRIMEIRA QUALIDADE.
Alto conteúdo em Ómega 3, 6 e 9
Linhaça do Canadá
Farelo de trigo
Farelo de aveia
Dente de leão
Alcachofra
Psyllium husk
Figueira-da-índia
Probióticos (Fórmula gastro-resistentes)
Maçã
Toranja
Laranja
Ananás


DOSE RECOMENDADA
Tomar à noite. Deitar uma colherada (15g) num copo de 250 c.c. com água, leite ou sumo. Se necessário, tomar uma segunda colherada pela manhã. Beber 2 L. de água ao dia para melhorar os resultados.

Propriedades da linhaça (1)


Nos últimos anos tem-se publicado uma grande quantidade de informação sobre os efeitos curativos da semente de linhaça moída. Os investigadores do INSTITUTO CIENTÍFICO PARA ESTADO DA LINHAÇA DO CANADÁ e dos Estados Unidos, têm dado a sua atenção no rol desta semente na prevenção e cura de numerosas doenças degenerativas. As investigações e a experiência clínica têm demonstrado que o consumo em forma regular de semente de linhaça, previne ou cura as seguintes doenças:

  • CANCRO: de mama, de próstata, de cólon, de pulmão, etc., etc.

A semente de linhaça contém 27 componentes anti-cancerígenos, um deles é; a LIGNINA.

A semente de linhaça contém 100 vezes mais Lignina que os melhores grãos integrais. Nenhum outro vegetal conhecido até agora iguala essas propriedades. Protege e evita a formação de tumores. Só no cancro se recomenda combinar semente de linhaça moída com queijo cottage baixo em calorias.


• BAIXA DE PESO:
A linhaça moída é excelente para baixa de peso, pois elimina o colesterol em forma rápida. Ajuda a controlar a obesidade e a sensação desnecessária de apetite, por conter grandes quantidades de fibra dietética, tem cinco vezes mais fibra que a aveia. Se você deseja baixar de peso, tome uma colher a mais pelas tardes.

• SISTEMA DIGESTIVO:
Prevêem ou cura o câncer de cólon. Ideal para artrite, prisão de ventre, acidez estomacal. Lubrifica e regenera a flora intestinal. Expulsão de gases gástricos. É um laxante por excelência. Previne os divertículos nas paredes do intestino. Elimina toxinas e contaminadores. A linhaça contém em grandes quantidades dos dois tipos de fibras dietéticas solúvel e insolúvel. Contém mais fibra que a maioria dos grãos.

• SISTEMA NERVOSO:
É um tratamento para a pressão. As pessoas que consomem linhaça sentem uma grande diminuição da tensão nervosa e uma sensação de calma. Ideal para pessoas que trabalham sob pressão. Melhora as funções mentais dos anciãos, melhora os problemas de conduta (esquizofrenia). A linhaça é uma dose de energia para o seu cérebro, porque contém os nutrientes que reduzem mais urotransmisores (reanimações naturais).

• SISTEMA INMUNOLÓGICO:

A linhaça alivia alergias, é efectiva para o LUPUS. A semente de linhaça por conter os azeites essenciais Ómega 3, 6, 9 e um grande conteúdo de nutrientes que requeremos constantemente, faz com que nosso organismo fique menos doente, por oferecer uma grande resistência às doenças. Contém grandes quantidades de rejuvenescedor, pois retém o envelhecimento. A linhaça é útil para o tratamento da anemia.

• SISTEMA CARDIOVASCULAR:
É ideal para tratar a arteriosclerose, elimina o colesterol aderido nas artérias, esclerose múltipla, trombose coronária, alta pressão arterial, arritmia cardíaca, incrementa as plaquetas na prevenção da formação de coágulos sanguíneos. É excelente para regular o colesterol ruim. O uso regular de linhaça diminui o risco de padecer de doenças cardiovasculares. Uma das características UNICAS da linhaça é que contém uma substância chamada taglandina, a qual regula a pressão do sangue e a função arterial e exerce um importante papel no metabolismo de cálcio e energia. O Dr. J H. Vane, ganhou o prémio Nobel de medicina em 1962 por descobrir o metabolismo dos azeites essenciais Ómega 3 e 6 na prevenção de problemas cardíacos.

• DOENÇAS INFLAMATÓRIAS:

O consumo de linhaça diminui as condições inflamatórias de todo tipo. Refere-se a todas aquelas doenças terminadas em "ITE", tais como: gastrite, hepatite, artrite, colite, amigdalite, meningite, etc.

• RETENÇÃO DE LÍQUIDOS:

O consumo regular de linhaça, ajuda aos rins a excretar água e sódio. A retenção de água (Edema) acompanha sempre à inflamação de tornozelos, alguma forma de obesidade, síndrome pré-menstrual, todas as etapas do câncer e as doenças cardiovasculares.

• CONDIÇÕES DA PELE E CABELO:

Com o consumo regular de sementes de linhaça você notará como sua pele volta-se mais suave. É útil para a pele seca e pele sensível aos raios do sol. É ideal para problemas na pele, tais como: psoriase e eczema. Recomenda-se também como máscara facial para uma limpeza profunda da cútis. Ajuda na eliminação do pano branco, manchas, acne, espinhas, etc. É excelente para a calvície. Essa é uma boa notícia para quem sofre de calvície. Também é útil no tratamento da caspa. Use-a como geleia para fixar e NUTRIR o seu cabelo. Não use vaselinas que danificam o seu coro cabeludo e o cabelo.

• DIABETES:
O consumo regular de linhaça favorece o controle dos níveis de açúcar no sangre. Esta é uma excelente notícia para os insulina-dependentes.

• VITALIDADE FÍSICA:
Um dos mais notáveis indicativos de melhora devido ao consumo de linhaça é o incremento progressivo na vitalidade e na energia. A linhaça aumenta o coeficiente metabólico e a eficácia na produção de energia celular. Os músculos se recuperam da fadiga do exercício.

• MODO DE USAR:
Duas colheres de sopa por dia, batidas no liquidificador, misturam-se num copo de sumo de fruta, ou sobre a fruta, ou com a aveia, ou iogurte no café da manhã ou no almoço. Podem tomar pessoas de todas as idades (crianças, adolescentes e anciãos). Inclusive mulheres grávidas.

Wednesday, 20 August 2008

Gerânio (Pelargonium graveolens)


O gerânio pelargonium graveolens é uma planta muito aromática originária da África. O seu óleo essencial é obtido por extracção a vapor das suas flores e folhas.
Existem muitas variedades de gerânios (outras cores e nomes botânicos), mas o tipo pelargonium graveolens, conhecido no Brasil como malva cheirosa, é o que gera o óleo essencial cujas propriedades terapêuticas estão descritas a seguir. Esta malva cheirosa apresenta pequenas e delicadas flores cor-de-rosa e as suas folhas são um pouco aveludadas e rendadas na extremidade.

Acção do Gerânio no emocional

O gerânio tem um aroma semelhante ao de rosas, o que sinaliza um potencial de expandir o coração, a decisão de amar e amar-se. Antigamente, as pessoas plantavam gerânios ao redor da casa, com a intenção de afastar os maus espíritos e trazer sorte aos bebés, atribuindo ao gerânio poder de protecção.

O facto é que o gerânio proporciona, via Aromaterapia, ou seja, o seu óleo essencial, uma rápida activação na energia vital, eleva o astral e alivia o cansaço. A sua folha pode ser usada no preparo de sucos desintoxicantes e chás, aromáticos e saborosos.

Emocionalmente, porque o seu aroma sedoso é semelhante ao de rosas, o gerânio trabalha muito bem o feminino quando ajuda o fígado (e vesícula) na sua desintoxicação. Portanto, ajuda a dissipar raivas reprimidas, equilibrar o emocional, mobilizar angústias e tratar a depressão.

O gerânio “acorda”, “desperta”, coloca os sentimentos no “aqui e agora”, na REALIDADE.

Ele trabalha também as vibrações Yang (acção), o masculino, quando ajuda na desintoxicação dos rins para desmaterializar os medos. É quando a ilusão dos medos se transforma em coragem, possibilitando as decisões adiadas (harmoniza o raciocínio lógico e a intuição) e o resgate da responsabilidade pelas acções iludidas. Quando se está vivendo momentos onde o sonho é uma necessidade, as pessoas irão se sentir pouco à vontade com o aroma do gerânio, uma vez que a mensagem do gerânio é oposta à ilusão.

O gerânio aumenta a criatividade e estimula-nos para a entrega, a fé de “corpo e alma”. O coração deseja e realiza: enfrenta e “dá conta do recado”.

Disso tudo é que, possivelmente, vem do seu uso histórico como “protector”. Afinal, quando no mundo real (meditação) e longe das ilusões, o nosso campo de protecção não permite que energias densas, falsas expectativas e frustrações se manifestem.

Acção do Gerânio no físico

Fisicamente, o gerânio tem a função reguladora sobre o sistema hormonal e supra-renais. O seu óleo essencial trabalha fortemente o feminino, quando interfere positivamente na prevenção e tratamento da TPM, menopausa e celulite. Tonifica as mamas, evita e trata estrias quando normaliza qualquer tipo de pele e as suas afecções. O gerânio aumenta o fluxo sanguíneo o que faz revigorar todas as células, inclusive unhas e cabelos.

Importante: deve ser evitado o seu uso durante a gravidez.

Homens podem e devem usá-lo, pois todos precisamos trabalhar o feminino internamente. Também porque o gerânio tem forte influência sobre os rins e supra-renais, órgão de choque do metabolismo masculino.

Com a sua acção diurética tem importante acção tónica sobre os rins: cálculos renais, bexiga e diabetes. Pela grande influência que o gerânio exerce sobre as glândulas supra-renais, podemos compreender muitos dos seus benefícios tanto físicos quanto emocionais.

Tem acção também sobre o fígado (hepatite, cirrose) e sistema linfático, contribuindo na eliminação de toxinas como excessos de glicose, colesterol, triglicéridos e mucosidade.

Como usar o óleo essencial de Gerânio?

O gerânio é um óleo que pode ser usado puro, como um perfume. Trata-se de um aroma forte e penetrante, portanto, é suficiente e prudente usar somente uma gota. Lembre-se que em caso de pele sensível deverá ser diluído em óleo vegetal. Uma gota na nuca, por exemplo, estimula, diminui o cansaço e revigora!

Para usar à noite, importante combinar com óleos relaxantes como a lavanda ou camomila.

Para favorecer sentimentos de confiança e coragem é excelente praticar meditações com o óleo essencial de gerânio. Ideal pela manhã ou tarde. Este óleo pode ser aplicado na nuca, num aromatizador pessoal, num lenço de papel, pulverizado no ambiente, na esponja no banho matinal, enfim...

Nas diluições em óleo vegetal, usa-se a 1%: para 50 ml de óleo vegetal adicione 11 gotas do óleo essencial de gerânio.

Nos óleos corporais, o óleo vegetal irá viabilizar a massagem. Dependendo das composições com outros Óleos Essenciais poderão ser indicados para: alívio de dores, relaxamento, estimulação, hidratação e outros cuidados específicos. Além de tratar internamente via olfacto, ajuda a "respirar" a pele, integrando seus efeitos terapêuticos.

Para uso nos chacras, o gerânio é mais indicado no coronário, trabalhando o medo e depressões, além de fortalecer a capacidade para a tomada das decisões. No chacra básico, é indicado para materializar objectivos. No chacra frontal, para resgatar a visão interna, o auto-conhecimento.

Fonte: Somos Todos Um; Conceição Trucom – química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para o bem-estar e qualidade de vida

Email: mctrucom@docelimao.com.br

Sunday, 17 August 2008

Tomate: os poderes do tomate



Sabia que a cor vermelha do tomate é importante para a sua saúde? Pois é, o tomate é vermelho porque possui um fitonutriente, chamado licopeno, que lhe atribui essa cor. O licopeno é responsável por benefícios ao nível do organismo, nomeadamente, na prevenção das doenças cardiovasculares...

Quando somos crianças, as nossas mães não se cansam de dizer-nos para comermos frutas e vegetais, embora nunca expliquem o porquê. Quando crescemos mais um bocadinho, ficamos a pensar que é pelas vitaminas e outras substâncias do género que também não sabemos explicar lá muito bem.

O papel das frutas e dos vegetais na nossa saúde tem ganho importância nas últimas décadas e estudos que relacionam determinado alimento com determinada patologia revelam alguns dados interessantes...

De facto, este interesse nos benefícios dos alimentos para a saúde remonta ao pai da Medicina, Hipócrates, autor da célebre frase: «Faz da comida o teu remédio». Mas, falemos, então, do tomate.

Um estudo publicado no Journal of Nutrition sugere que crianças com uma dieta rica em tomate apresentam uma significativa redução na taxa de mortalidade.

Vários outros estudos indicam que o consumo de tomate traz benefícios para a saúde, principalmente no que diz respeito à prevenção das doenças cardiovasculares e do cancro.

Os estudos em questão analisam uma substância presente no tomate, designada por licopeno, que não é produzida pelo organismo, sendo apenas possível obtê-la através de fontes externas.

De acordo com a Dr.ª Alexandra Bento, presidente da Associação Portuguesa de Nutricionistas (APN), o licopeno é «um fitoquímico, ou fitonutriente, da família dos carotenóides, que confere a cor vermelha aos produtos de origem vegetal.

Os fitoquímicos ou fitonutrientes são químicos encontrados nos vegetais e que têm efeito benéfico na saúde.

Desta forma, eles diferem do que é tradicionalmente chamado de nutriente, já que não são necessários para o metabolismo normal e a sua ausência não irá resultar em problemas de saúde por deficiência.

Contudo, «diversos estudos actuais sustentam que muitas das doenças dos países industrializados são consequência da falta de fitonutrientes na dieta» explica, salientando:

«O que é matéria de consenso e que está acima de controvérsias é que os fitoquímicos têm muitas funções benéficas no organismo.»

«Por exemplo, eles podem melhorar o funcionamento do sistema imunológico, agir directamente contra bactérias e vírus, reduzir inflamação, ou estarem associados no tratamento e/ou prevenção de cancro, doenças cardiovasculares ou outras doen­ças, afectando a saúde ou o bem-estar do indivíduo.»

«Os estudos científicos têm vindo a demonstrar, também, o importante papel do licopeno na prevenção do cancro da próstata.»

Investigações realizadas pelo médico americano Michael Roizen mostram que 10 colheres de molho de tomate ingeridas semanalmente podem reduzir em 50% o risco de ocorrência de 11 tipos de cancro.

Deste modo, o licopeno está presente nos produtos de origem vegetal (frutas e legumes) de cor vermelha e, por isso, está presente em grande quantidade no tomate, podendo, também, ser encontrado na melancia e no morango, mas em menores quantidades.

«Quanto mais intensa for a cor vermelha do tomate, mais rico em licopeno é. Assim, podemos dizer que os tomates são, de longe, a fonte mais rica em licopeno» afirma Alexandra Bento.



Tomate: benefícios para o coração

Ao nível do mundo ocidental, as doen­ças cardiovasculares são reconhecidas como a maior causa de morbilidade e mortalidade.

Apesar de factores relacionados com a idade e a predisposição genética, a presença de hipertensão, de colesterol, de tabaco e de uma alimentação pouco saudável, associada à vida sedentária e à falta de exercício físico, contribuem em grande medida para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

É desta forma que os médicos apostam, acima de tudo, na prevenção. E se essa prevenção passa por controlar, através de terapêutica, a hipertensão e o colesterol, requer igualmente a adopção de hábitos de vida saudáveis, nomeadamente no que diz respeito à alimentação.

Deste modo, o tomate tem um papel importante no que diz respeito às doenças cardiovasculares, uma vez que o licopeno é «um poderoso antioxidante», capaz de minimizar os riscos de ataques cardíacos.

O licopeno impede a oxidação do mau colesterol, o LDL, que é responsável pela formação de placas de gordura no sangue e consequente ocorrência de enfartes do miocárdio e acidentes cardiovasculares.

«Os antioxidantes são substâncias encontradas em certos alimentos (até há poucos anos os antioxidantes mais conhecidos eram a vitaminas C e E) e têm como objectivo evitar o desencadeamento de reacções químicas no organismo.»

«Combatem os radicais livres que são substâncias nocivas para o organismo – causam danos nas células –, que levam ao envelhecimento precoce, ao surgimento de cancro e doenças cardiovasculares» afirma a presidente da APN.

«Além do licopeno, o tomate é também fonte de vitamina C e de potássio, mineral importante no controlo da pressão arterial, nas contracções musculares, na saúde das artérias e na manuten­ção dos líquidos celulares.»

Um estudo de Harvard indicou que a ingestão diária do tomate, ou seus derivados, pode reduzir o risco de doenças cardiovasculares em 30%.

O estudo comparou mulheres que consumiam, por dia, sete ou mais alimentos cuja base era o tomate, com mulheres que só faziam uma ingestão de produto por semana. Ambos os grupos tinham, na altura, ausência de doença cardíaca e os factores de risco, acima referidos, encontravam-se controlados.

A investigação demonstrou uma relação entre o aumento do consumo de licopeno, através do tomate, na alimentação e a redução no risco de doenças cardiovasculares.

O que significa que, para o organismo obter a dose adequada de licopeno, deve-se aumentar a ingestão diá­ria do tomate, seja ele cru, cozinhado, em molho ou polpa.


Tomate: potenciar a absorção do licopeno pelo organismo

Por ser um carotenóide, o licopeno é mais bem absorvido na presença de gordura. Assim, a adição de uma dose moderada de gordura monoinsaturada (como o azeite) facilita o transporte, a absorção e a acção do licopeno no organismo.

Alexandra Bento sugere que, «para tornar a refeição com tomate ainda mais poderosa e saudável, devemos acrescentar um fio de azeite ao tomate, podendo ser consumido em sopa de tomate, caldeiradas ou numa simples salada» refere, acrescentando:

«Outra característica interessante é que o calor aumenta a biodisponibilidade do licopeno, ou seja, esse fitoquímico é mais bem absorvido pelo nosso organismo quando o tomate é cozido. Sendo assim, uma interessante forma de o comer é nos molhos e sopas de tomate.»

«Além disso, é importante mencionar que o processo de industrialização do tomate, para a elaboração de molhos prontos, ou outros preparados com tomate, não destrói o licopeno. Contudo, atenção na escolha, é melhor estar atento aos rótulos e escolher aqueles com menores valores de calorias e sódio.»

Tomate: a história do tomate

Oriundo da América Central e do Sul, desde o Peru até ao México, o tomate era inicialmente cultivado e consumido pelas civilizações Asteca e Inca.

Só mais tarde, no século XVI, é que foi introduzido na Europa pelas mãos de alguns exploradores. Ainda assim, os europeus acreditavam que o tomate era venenoso como as mandrágoras, sendo apenas utilizado para efeitos ornamentais.

No século XIX, na França, Espanha e Itália, o tomate passou a ser consumido e cultivado numa escala maior, tornando-se popular em muitas receitas, mas o grande impulso foi conhecido através dos italianos, pelo famoso molho de tomate, que se tornou no principal ingrediente, utilizado nas pizzas e em outras massas.

É também um dos principais ingredientes da dieta mediterrânica.

Tomate: na sua alimentação

O tomate é um alimento pouco calórico com excelentes propriedades nutricionais que pode ser largamente utilizado na culinária pela sua cor, melhorando a aparência dos pratos.

Além disso, e de acordo com a Dr.ª Alexandra Bento, presidente da Associação Portuguesa de Nutricionistas, «quanto maior é a concentração de tomate numa receita, maior é o teor de licopeno e os benefícios por ele proporcionados».

«O licopeno possui maior aproveitamento quando combinado com uma pequena quantidade de gordura, preferencialmente do tipo monoinsaturada, como o azeite.»

«Esta relação de tomate com azeite resulta numa feliz combinação para o “coração” (leia-se doenças cardiovasculares)».

Alexandra Bento deixa aqui as suas sugestões:
sopas de tomate regadas com um fio de azeite;
caldeiradas com muita polpa de tomate;
arroz de tomate;
de vez em quando, uma saborosa compota de tomate;
…e tudo o mais que a imaginação (e já agora, a dieta mediterrânica) nos permita!

Tomate: quantidades de licopeno

Apresentação Quantidades
Sumo de tomate 4,6 mg
Polpa de tomate 7,9 mg
Tomate triturado 16,5 mg (maior quantidade de licopeno porque, para além da polpa, tem também a pele do tomate e, como se costuma dizer, «o melhor está na casca»)
Tomate pelado 4,36 mg
Concentrado de tomate 33,2 mg (maior concentração de licopeno porque foi-lhe retirada a água)
Ketchup 8,8 mg
Sopa de tomate 7,2 mg


(A responsabilidade científica desta informação é da Medicina e Saúde)